Algumas pessoas são tão iguais quanto as outras

gato

Para aqueles que entendem o universo dos gatos e poderão compreender este texto. Sobre gatos, cães e pessoas. E sobre Liberdade, Igualdade, Fraternidade.

Algumas pessoas são tão iguais quanto as outras
(Ursula K.Le Guin) ‪#‎ursulakleguin‬

“Esta fotografia ilustra algo que venho pensando sobre gatos, cães e pessoas. E sobre Liberdade, Igualdade, Fraternidade.
Sabemos que os cães, descendentes de lobos, tem vivido com os seres humanos há 30 mil anos, e são, na maior parte, profundamente hierárquicos, concebendo a sociedade como uma pirâmide com o grande Chefe no topo (macho alfa, mestre, senhora, deus, rei, líder) e outros seres dispostos em ordem decrescente. Pra eles, a obediência à autoridade e aceitação do próprio lugar, através da ordem social e moral é o comportamento correto.
Eu acredito que os gatos, descendentes de gatos semi-sociais, antissociais ou selvagens tem vivido com os seres humanos, provavelmente a menos de 3.000 anos, e eles não têm noção alguma de uma hierarquia legítima de autoridade social ou moral. Não ocorre a um gato que qualquer outro ser tem qualquer direito ou diferença de poder, e a sua obediência é oferecida apenas por auto interesse imediato ou por afeição pessoal. Os gatos são intensamente oportunistas, anarquistas práticos.
O que vemos nesta fotografia, tomada por um ser humano amável disposto a descer ao nível do chão como o gato, é que o gato aceita esta disposição como indigao de atenção especial. O gato se considera no mesmo nível que o ser humano, ainda que o humano esteja alguns metros acima dele ou no mesmo plano que ele.
Sabendo que o ser humano é um estranho, embora em silêncio, de forma bem-comportada, e até dez vezes maior e mais forte do que ele, o gato não mostra nenhum alarme, mas, alguma desconfiança racional. Ele não oferece boas-vindas, não cerra seus olhos ou coloca seus ouvidos em alerta, ele não dá pistas, e simplesmente olha diretamente para o grande intruso em seu território.
Este é o olhar de um nível em que não se concebe como inferior a ninguém – mas, se vê com uma igualdade social qualquer em que encontra.
Eu não digo a absoluta igualdade. O tamanho importa. Meu gato me concede uma certa autoridade: há lugares que eu o proíbo de ir e coisas que eu o impeço de fazer, e embora ele teste estas sanções muitas vezes e às vezes as desobedeça, principalmente ele as aceita. Eu acho que ele faz isso porque ele confia em mim, gosta de mim, e é muito menor do que eu. Se ele pesasse 50 kilos em vez de 5, seria muito mais provável querer afirmar a sua igualdade, desobedecendo minhas ordens.
Relações de confiança e carinho que envolvem um equilíbrio de poder nunca são simples. As trabalhamos à medida que avançamos, individualmente e por espécie. Generalizações levam a suposições que são muitas vezes enganosas, algumas vezes, fatalmente enganosas. Afinal, um cão de 35 kilos, assustado ou instigado a agressão, ou que tenha sido treinado e encorajado a atacar, é tão perigoso quanto qualquer leopardo.
Que muitos de nós não podemos ver, é o nível do olhar do gato como uma declaração de igualdade, mas vemos como desprezo, arrogância,e até mesmo como ameaçador – como se declarasse superioridade – significa que, como lobos e cães, nós, primatas somos hierárquicos. Nós queremos o poder sobre certos indivíduos, de uma vez por todas, para não passar em torno de nós de acordo com a circunstância. Nós fazemos nichos permanentes – superior, inferior – e os preenchemos. Criaturas que não vão se encaixar em nossos nichos, nós os caracterizamos como assustados ou que nos odeiam. O olhar da igualdade a partir de uma pequena…criatura peluda é como lidar com um desafio intolerável de um inferior alegando superiodade.
Eu disse que gatos são anarquistas, mas uma sociedade de iguais também é, afinal, uma democracia.
A conexão gato-humano, historicamente é quase inteiramente prática, utilitário (com ajustes ocasionais de adoração do gato como uma divindade) e chegou para incluir títulos poderosos de afeto íntimo, incondicional, como entre iguais. Eu gosto da idéia de que a partir dessas sutis, companhias intensas, pode-se ter algo a aprender sobre a natureza da nossa própria política, a nossa dificuldade em conseguir conceber, mesmo, uma verdadeira igualdade.
– UKL
20 de julho de 2015
Tradução livre
Foto: Pard, gato da autora
Original: Some People Are Just As Equal As Others http://www.ursulakleguin.com/Blog2015.html#New

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s